Prezado leitor,
É permitida a utilização do conteúdo desse site, desde que citada a fonte.
Para isso, leia as regras aqui e preencha o cadastro em anexo.

Configuração mínima necessária:
Internet Explorer 7 ou Firefox 3
Resolução: 1024x768

Conheça a nossa página no Facebook Conheça a nossa página no Twitter

 

 

Entenda o seguro de crédito

Fatos e dados

20162015201420132012

Alta de 10,1% em jan./dez. de 2016

O faturamento (prêmios diretos) do seguro de crédito no mercado brasileiro teve acréscimo de R$ 678,2 milhões para R$ 746,4 milhões entre jan./dez. de 2015 e jan./dez. de 2016, com alta de 10,1%.

A demanda por seguro de crédito no Brasil ainda é pequena frente ao porte da economia no país. O seu faturamento respondeu apenas por 1,07% do total do ramo de seguros não vida (exceto saúde) em jan./dez. de 2016, percentual acima do de jan./dez. de 2015.

A receita (prêmios ganhos) das seguradoras com essa modalidade de cobertura, entre jan./dez. de 2015 e jan./dez. de 2016, aumentou 26,3% ao subir de R$ 632,7 milhões para R$ 799,3 milhões, respectivamente. Os sinistros ocorridos passaram de R$ 717,7 milhões para R$ 857,8 milhões: alta de 19,5%. As despesas de comercialização caíram: foram de R$ 99,1 milhões para R$ 89,9 milhões, ou seja, queda de 9,3%.

A sinistralidade – indicador que mede a relação entre sinistros ocorridos e prêmios ganhos – caiu de 113,4% para 107,3% entre jan./dez. de 2015 e jan./dez. de 2016. O índice de despesas de comercialização (relação entre despesas de comercialização e prêmios ganhos) caiu de 15,7% para 11,2% no mesmo período.

A participação da margem bruta (prêmios ganhos menos sinistros ocorridos e despesas comerciais) na receita do seguro de crédito foi negativa, mostrando prejuízo técnico.

 

Topo